O que é o Banco de Tempo?

Banco de Tempo é um sistema de organização de trocas solidárias que promove o encontro entre a oferta e a procura de serviços disponibilizados pelos seus membros. No Banco de Tempo troca-se tempo por tempo; todas as horas têm o mesmo valor e quem participa compromete-se a dar e a receber tempo.

Na prática, funciona deste modo: quando um membro do Banco de Tempo precisa de um serviço, contacta a sua agência, que procura um outro membro que o possa realizar. Realizado o serviço, quem o solicitou passa um cheque de tempo. O membro que prestou o serviço deposita o cheque, que é creditado na sua conta, e poderá obter serviços disponibilizados por qualquer outro membro.

Objetivos

  • Apoiar a família e a conciliação entre vida profissional e familiar, através da oferta de soluções práticas de organização da vida quotidiana;
  • Reforçar as redes sociais de apoio, diminuir a solidão e promover o sentido de comunidade e de vizinhança;
  • Promover a colaboração entre pessoas de diferentes gerações e origens;
  • Valorizar o tempo e o cuidado dos outros;
  • Estimular os talentos e promover o reconhecimento das capacidades de cada pessoa.

Princípios

  • Troca-se tempo por tempo: a unidade de valor e de troca é a hora
  • Todas as horas têm o mesmo valor: não há serviços mais valiosos do que outros
  • Há obrigatoriedade de intercâmbio: todos os membros têm que dar e receber tempo
  • A troca não é direta: o tempo prestado por um membro é-lhe retribuído por qualquer outro membro
  • A troca assenta na boa vontade e na lógica das relações de “boa vizinhança”: os serviços prestados correspondem a atividades que se realizam com gosto e, para as realizar, não podem exigir-se aos membros certificados ou habilitações profissionais

História do Banco de Tempo em Portugal

O primeiro contacto do Graal com o Banco de Tempo deu-se em Barcelona, em 1998, através da Associação Salud y Família. Esta associação catalã tinha já começado a dinamizar Bancos de Tempo, com inspiração em iniciativas italianas.

Os primeiros Bancos de Tempo foram criados em Itália e nos Estados Unidos, países onde existem há mais tempo, de forma documentada e sistematizada. Nos Estados Unidos, Edgar Cahn, ainda nos anos 80, promoveu a criação de centros de trocas em que o valor de troca era a hora (Time Dollar), surgindo os primeiros “Time Banks” em 1992. É também no início dos anos 90 que, em Itália, começam a surgir os primeiros Bancos de Tempo.

Em 2000, uma equipa do Graal iniciou o trabalho de criação das condições para a implementação do Banco de Tempo em Portugal. Nessa altura, trabalharam-se aspetos regulamentares, desenvolveu-se a imagem institucional do Banco de Tempo, conceberam-se instrumentos operativos e foram envolvidas várias entidades na qualidade de potenciais parceiras. No início de 2002, foram constituídas as primeiras Agências do Banco de Tempo, tendo sido a primeira inaugurada em Abrantes.

Agências

Membros

Contactos

Rede Nacional do Banco de Tempo

Rua Luciano Cordeiro, nº 24, 6º A, 1150-215 Lisboa
e-mail: bancocentral@bancodetempo.net

Tel.: (+ 351) 213 546 831
Fax: (+351) 213 142 514